Resenha [Livro] – A menina e o equilibrista

Oi gente, tudo bem?

Recebi de presente o livro A menina e o equilibrista, do querido Bruno Félix! Li na mesma semana em que chegou, mas só agora consigo fazer uma resenha (desculpe a demora, Bruno! rs).

A menina e o equilibrista: A história de um milagre (Penalux, 2017, 181 p.) irá nos contar a história de Antônio, um homem ainda jovem que pensa em tirar sua própria vida, pulando de uma ponte. Em meio às suas “últimas” reflexões, sem medo da queda livre ou da altura, é interrompido por Angelina, uma garotinha negra, com cerca de sete anos de idade, que, ingênua, pensa que Antônio é um equilibrista. Mas ao conversar com nosso protagonista, e pedir a sua ajuda para encontrar um caderninho que havia perdido, começamos a perceber o tanto de sabedoria que a criança carrega.

“- Me chame de Vó Laura, querido. E acredito em milagres, sim. Você não acha o mundo todo muito misterioso?” (p. 33)

Em meio às lembranças de um passado sofrido, e tendo contato com outros personagens da história, começamos a tentar entender o porquê de Antônio querer tirar sua vida. Mas aos poucos, o homem vai entendendo todo o valor e maravilhas que ele deixaria para trás. Angelina tem um papel importante em sua caminhada, e todas as pessoas que têm contato com os dois personagens me tocaram de formas diferentes.

As lindas ilustrações do livro são feitas por Arthur F. Pádua

Meu personagem favorito foi o Poeta Ruivo. Em determinada parte do livro eu quase chorei com seu relato, seus amores e desamores… Em especial com uma linda poesia, que é a continuação desse trechinho abaixo:

“- Eu costumo colocar versos datilografados junto com os lanches. É a única maneira que achei para fazer algumas pessoas consumirem poesia. – Brincou, enxugando uma lágrima” (p. 70)

Isso me fez lembrar do próprio Bruno Félix! Para quem não sabe, ou não está lembrado, ele é o mesmo autor de O Busto de Adão e outras poesias, que foi resenhado e já indicado por aqui diversas vezes. Ele é um poeta de mão cheia, e está para publicar mais um livro de poesias, chamado Poemas Classificados, que será lançado pelo Editorial Letramento! Você pode ver a notícia aqui, e acompanhar o Bruno em suas redes sociais e blog, que vou listar abaixo. A capa ficou sensacional!

Ah, e o porquê de ter lembrado: Bruno escreve alguns “poemas classificados”, isto é, no meio dos classificados comuns de um jornal, ele apresenta suas poesias ao público! É um modo de divulgar poemas, literatura de qualidade, assim como faz, no livro, o Poeta Ruivo!

Mas voltando ao livro em questão! rs  A menina e o Equilibrista é um belo livro sobre a esperança, a restauração da fé, a crença em milagres, a pureza e sabedoria das crianças, e sobretudo, o acreditar em Deus, em algo maior que nós, que guia nossos caminhos, e nos mostra que, mesmo em meio a tantos sofrimentos, Ele nunca nos desampara. Indico muito!

Título: A menina e o equilibrista

Autor: Bruno Félix

Editora: Penalux

Número de páginas: 181 p.

Lista de Links Bruno Félix:

Venda do Livro

Página no Facebook

Blog

Instagram

Twitter

Skoob

Anúncios

Leituras Janeiro / Fevereiro 2018

Oi gente, tudo bem?

Estou meio atrasada com essa postagem… Deveria ter sido feita no final de Janeiro… Mas vocês me entendem? Me perdoam? haha. A pessoa jura que vai melhorar, mas não melhora. E ninguém desiste de mim. Que bonito… Obrigada 🙂

Mas vamos lá! Estou lendo algumas coisas muito interessantes… Não tanto quanto gostaria, mas os meus outros projetos, dos quais já comentei em outra postagem, estão indo bem. No mês de março irei me dedicar um pouco mais à leitura (eu acho. Não prometo mais nada hahaha).

Janeiro
1. A vida de Maria – Rainer Maria Rilke – 42 p.
2. O quinze – Rachel de Queiroz [Releitura] – 161 p.
3. Eu sou Malala – Malala Yousafzai – 342 p.
4. Quincas Borba – Machado de Assis [Releitura] – 174 p.
5. Selou e Maya / Maya e Selou – Lara Meana e María Pascual de la Torre – 32 p.
6. Areia: (À fragmentação da pedra) – Milton Carlos Rezende
7. Padre Pio: Tragédia de fé – Padre Luna – 118 p.

Fevereiro
8. A menina e o equilibrista – Bruno Félix – 184 p.
9. Maria, a agraciada de Deus – Frei Luis Sartori – 96 p.
10. O pássaro raro – Jostein Gaaarder [Releitura] – 208 p.
11. Mística de Fátima – Nilza e Gilberto Maia – 269 p.

Total de incríveis 1.626 páginas.

Os meus projetinhos de leitura andam de vento em popa.

O desafio pessoal de Janeiro, eu consegui cumprir. Foi o infantil Selou e Maya / Maya e Selou (infantil), e Eu sou Malala, de Malala Yousafzai. Para o Desafio Todo Leitor, do Glen (categoria autor importante que nunca li) foi o mesmo livro (gente, Malala ganhou o Nobel da Paz! Super importante! rs).

Meu desafio pessoal de fevereiro eu não cumpri… Mas ok. Pelo menos o Desafio Todo Leitor eu consegui! rs. Eu reli O pássaro raro (categoria autor favorito), e foi muito melhor do que eu me lembrava. Havia lido há cerca de 10 anos… e não havia gostado nada. Não estava habituada ao Jostein como contista, e sim como romancista… E talvez o livro fosse um pouco pesado para minha idade. O fato é que dessa vez eu me emocionei, me arrepiei, chorei, e pensei muito na vida, no universo e tudo o mais rs. Foi uma experiência incrível, e pretendo fazer uma resenha a vocês.

O livro do #ProjetoMindlin de Janeiro foi O quinze, de Rachel de Queiroz. E foi uma releitura incrível! Eu não me lembrava muito bem da história, por ter lido há muito tempo – e para a escola rs.

O livro do #ProjetoMindlin de Fevereiro foi O gaúcho, de José de Alencar. Como eu não tinha esse livro em casa, e não me organizei para pegar emprestado na biblioteca, também não li.

Mas em Março, se você ainda não viu o vídeo da Nina, iremos ler Grandes esperanças, de Charles Dickens. Na verdade, a leitura se estenderá para Abril também, por ser um livro mais gordinho. Assista ao vídeo, logo abaixo, e se você sentir vontade, participe conosco! É só entrar em contato através do Vídeo da Nina (lá no Youtube), ou me deixar um comentário aqui mesmo, no blog.

Ah, e para você se organizar, confira os próximos livros que serão lidos para o #ProjetoMindlin ao longo do ano de 2018:

► Próximos livros do Projeto Mindlin:

Maio: O Primo Basílio, de Eça de Queiroz
Junho: Dom Quixote de La Mancha, de Miguel de Cervantes
Julho: Dom Quixote de La Mancha, de Miguel de Cervantes
Agosto: Dom Quixote de La Mancha, de Miguel de Cervantes
Setembro: Dom Quixote de La Mancha, de Miguel de Cervantes
Outubro: O Sertanejo, de José de Alencar
Novembro: Til, de José de Alencar
Dezembro: O Pequeno Príncipe, de Antoine de Saint-Exupéry

Agora, para Março, meu Desafio Pessoal será ler 1 best-seller + 1 livro clássico. Sendo que o best-seller será A última carta de amor, de Jojo Moyes (nunca li nada da autora), e o livro cássico será Contos de fantasmas, de Daniel Defoe (faz muito tempo que tenho em casa).

Para o Desafio Todo Leitor, Março será a vez de ler uma biografia. Pretendo ler Para seguir minha jornada: Chico Buarque, da autora Regina Zappa.

Fora os livrinhos extras, que sempre entram na fila… E que às vezes consigo ler somente esses extras hahaha O importante é ler 🙂

E vocês, o que fizeram de bom nos meses de Janeiro e Fevereiro!?

Lançamento [Divulgação] – Livro Submerso nas palavras: Orações em poesia

Oi gente, tudo bem?

Venho hoje divulgar o livro Submerso nas palavras: Orações em poesia, de David Vinícius Fagundes Parissenti. São 27 poesias que refletem um novo olhar sobre o cotidiano.

Todos convidados para o lançamento! (que será em Campos Novos – SC, na Igreja Matriz, Paróquia São João Batista. A partir das 19h, no dia 18 de março, domingo!) 

Submerso nas palavras: Orações em Poesia é um livro para ser lido com calma, degustando cada palavra, reencontrando em nós a beleza que é ser de carne e osso. São poesias que nos ajudam a perceber Deus em nosso interior, estimulando-nos a aflorar a santidade do Espírito Santo em nós” (da Apresentação, p. 9)

Interessados, também podem falar comigo 

Se você quiser uma prévia, clique aqui!

Músicas que ouço enquanto leio [Parte 12]

Oi gente, tudo bem?

Volto hoje com as playlists! Faz bastante tempo que não posto nenhuma música por aqui… e me bateu uma saudade! Durante esse tempo, não parei de ouvir músicas… bem longe disso rs. Parece que não posso ficar sem meus foninhos de ouvido (que por sinal, estraguei dois nesse curto período de tempo haha). Mas vamos às músicas da semana! (A segunda e terceira eu conheci hoje, e estou apaixonada pelas vozes das moças) ❤

Coeur de Pirate – Drapeau blanc

Pomme – Sans Toi

Alma – Requiem

Resenha [Doc] – Numerado

Oi gente, tudo bem?

Faz dez dias que não apareço por aqui! Muito tempo! Mas os outros projetos estão andando tão bem, que não estou encontrando tempo para escrever por aqui. Logo minha rotina voltará ao normal, então sim, teremos três postagens por semana rs.

Mas hoje, quero indicar um documentário que assisti ontem! Gosto muito do tema Segunda Guerra Mundial, e encontrei “sem querer”, na Netflix o documentário Numerado (2012). Nele, podemos ver doze sobreviventes do campo de concentração em Aushwitz, que foram numerados no braço esquerdo, e uma mulher que resolveu tatuar o número de seu pai no tornozelo, para poder fazer memória à sua história.

   

Na época da Segunda Guerra, cerca de 400 mil pessoas, presas em Campos de Concentração, receberam números em seus braços, como uma identificação. No início do documentário, já somos apresentados a essa realidade de modo bem cru e frio, de uma das sobreviventes: “era como as pessoas marcavam gado”. Esses presos foram tratados ainda de pior maneira, como já sabemos. O documentário não é sobre o que aconteceu naquele lugar, mas sim o que significa, hoje, essa marca em seus corpos. Quais as lembranças, se é um sinal de vitória ou de tristeza…

Esse senhor, da fotografia acima, é o sr. Daniel, o fugitivo daquele lugar horroroso. Ele conta como conseguiu fugir, e acabou largando para trás seus pais, avós e dois irmãos mais novos. Ele foi o único sobrevivente da família, e será o único que terá um túmulo, dando assim, dignidade para o nome de sua família. Também conhecemos outras tantas histórias, os traumas que permaneceram em suas vidas, as lembranças “boas” (se é que posso usar essa palavra) e ruins, tudo o que elas lutaram para sobreviver em meio ao caos.

Como sempre digo: é bom assistirmos a esses documentários e filmes para termos consciência, não de que “nossa vida é boa” e “não podemos reclamar”. Mas termos a consciência de que aqueles fatos ocorreram por ganância, pela disputa pelo poder e ideologia. E que devemos mudar essa realidade, não deixando que tudo aquilo aconteça novamente.

Documentário bem emocionante, difícil de assistir. Mas que indico!

Título: Numerado

Direção: Uriel Sinai, Dana Doron

Gênero: Documentário / Segunda Guerra Mundial

Duração: 55 min