TAG Tudo menos livros

Oi gente, tudo bem?

Faz muito tempo que não respondo à TAGs (na verdade, agora que o blog está voltando à ativa). E hoje, para mudar um pouquinho, não responderei a uma TAG literária… como já percebemos pelo título. Vi lá no canal da JotaPluftz. E ela pegou desse canal gringo.

1. Fale sobre quais desenhos animados você gosta.
R: Gosto de assistir a filmes de animação (qualquer um rs). Mas desenho animado da TV, gosto muito de Bob Esponja e Os Simpsons.

2. Qual sua música favorita no momento?
R: Vixi! No momento, eu acho que é esta: “La La Land – City Of Stars“, na voz de Chase Eagleson. Isso porque nem assisti ao filme.

3. O que você faz por horas, que não é ler?
R: Por horas, eu não digo, mas comer HAHA. Mentira. Por horas, eu acho que é assistir a alguma série… Como Doctor Who, ou Modern Family (que descobri só agora e já viciei).

4. Diga uma coisa que você ama e seus seguidores vão se surpreender em saber…
R: Amo chocolate. Mas isso não é novidade. Eu amo também aqueles chocolates parafinados (guarda-chuva, moedinha, bolinha de chocolate) hahaha Fazer o que. Dizem que os “amantes” de chocolate tem gosto refinado, não é?! Que gostam de chocolate de qualidade, e blá-blá-blá. Não… Eu amo qualquer chocolate… Não tenho preconceito rs. / Outra coisa que amo é passar roupa! Assim eu boto as séries em dia 😉  (táticas, amiguinhos).

5. Qual é a coisa desnecessariamente específica que você gosta de aprender?
R: Qualquer coisa. Adoro aprender coisinhas novas.

6. Qual coisa diferente / bizarra que você sabe fazer?
R: Até hoje, sei colocar os pés na cabeça, tipo isso:

Meus pais acham “bizarro”, porque eu nunca fiz ginástica rítmica. Sempre fui um pouquinho elástica. E hoje, mesmo um pouco mais velhinha (poxa, tenho quase 28!), ainda consigo fazer isso =)

7. Conta uma coisa que você fez / criou no ano passado (se puder, mostre!)
R: Gosto muito de fazer Origamis. Então ano passado acabei fazendo um mini-presépio para minha sogrinha (que na época ainda não era sogra rs).

8. Qual é o seu mais recente projeto pessoal?
R: Terminar os projetos que já comecei rs. Eu fico bastante ansiosa quando começo uma coisa e não termino. Então primeiro terei que terminar o que já está começado.

9. Diga alto que você pensa com frequência.
R: Que sono / Que fome. E algo que infelizmente está ficando comum: que dor de cabeça.

10. Conte uma coisa favorita sua, bem específica.
R: Adoro colocar achocolatado no leite condensado, deixar no freezer e comer. Aqueles floquinhos de chocolate explodem na boca, que é uma delícia! hahaha

11. Por último, diga a primeira coisa que vem a sua mente!
R: placa.

[Resenha Filme] Deus não está morto 2

Olá! Tudo certo aí?

Deus não está morto 2 (2016) conta a história de Grace (Messia Joan Hart), uma professora declaradamente cristã, que responde a uma pergunta feita por uma aluna. Em meio à sua resposta, Grace acaba falando algo sobre Jesus Cristo. Esse fato lhe rende um processo, vindo de alguns alunos (que durante a aula enviaram mensagens de texto aos seus pais), que também é apoiado duramente pela diretora Kinney (Robin Givens). Segundo a diretora, assuntos religiosos não devem se tratados dentro de sala de aula. Então Grace tem a opção de pedir desculpas pelo ocorrido, ou ser demitida e processada pelos próprios pais da aluna que fez a pergunta.

Minha opinião: Mais uma vez irei começar esta parte da postagem desta forma para que todos entendam: esta é uma opinião particular. Sem querer ser chatinha, mas já sendo, eu devo deixar isso bem claro. A postagem mais vista (todo santo dia ela está citada nas “buscas” do blog) é sobre o filme Deus não está morto (que você pode ver clicando aqui). E se vocês forem ler os comentários sobre a resenha que fiz do primeiro filme, irão encontrar de tudo. Então para não haver chateações… rsrs

Bem, eu gostei muito mais deste segundo filme do que do primeiro. Achei a história um pouco mais elaborada, menos forçada. Assim como o primeiro, este também se passa numa escola. E assim como no primeiro, é óbvio, este é um filme cristão. A proposta dele já é essa: apresentar Deus, mostrar que Deus realmente existe, em pequenos detalhes. Não adianta as pessoas reclamarem (como já foi dito na outra resenha) que o filme “é pretensioso”. Repito: a proposta é apresentar Deus sob o olhar cristão.

Fiquei emocionada em diversas partes do filme. E por mais que, no geral, não é uma situação que pode acontecer em qualquer lugar… Acreditem: em alguns lugares que conheço, já aconteceu. Pessoas confrontando professores de que Deus não existe… Ou o contrário. Não rendeu processo, mas discussão em sala de aula, infelizmente.

Trailer: 

Título: Deus não está morto 2

Direção: Harold Cronk

Gênero: Drama

Duração: 121 minutos

[Resenha] Capitães da Areia | Jorge Amado

Oi pessoal, tudo bem?

Mais um livro lido para o #ProjetoMindlin (acesse para saber mais, clicando aqui). A Nina reuniu um grupo grande, para lermos juntos e discutirmos, via WathsApp; e mais uma vez foi uma experiência maravilhosa. Eu nunca havia conseguido dar continuidade nesse clássico brasileiro. Antes de Capitães da Areia, li somente A morte e a morte de Quincas Berro d’Água, de Jorge Amado (que por sinal gostei muito, e tem resenha aqui).

64as

Capitães da Areia (Companhia das Letras, 2008, 283 p.) do grande autor baiano Jorge Amado, vai contar a história de um grupo de meninos de rua que mora no cais, e que levam o título do livro. Mas Jorge Amado não nos entrega esses meninos de mão beijada. Vai nos apresentando aos poucos, e deixando que cada identidade seja formada segundo nossos julgamentos.

O início do livro, por sinal, são as “Cartas à redação”, onde o padre José Pedro, o Secretário do chefe de polícia, o Juiz de menores, a Maria Ricardina (costureira),  o diretor do Reformatório, escrevem para o Jornal da Tarde. Seguindo daí, começamos com nossos pré-julgamentos. Aos poucos, de capítulo em capítulo, vamos sendo apresentados aos outros personagens: os meninos do cais, o padre, o bispo, algumas mocinhas, algumas madames. Cada qual com sua personalidade, qualidades e defeitos.

fsd

Podemos ainda arriscar dizer que o que Jorge Amado faz em seu livro é algo como os alemães chamam de “Bildungsroman“; ou como conhecemos aqui no Brasil, “Romance de formação”, que é aquele tipo de livro que nos é exposto o processo de desenvolvimento dos personagens (seja ele físico, moral, social, político). Para citar um exemplo mais “prático”, temos a obra David Copperfield, onde Charles Dickens nos apresenta seu personagem principal que dá nome ao livro, desde seu nascimento, até sua velhice; passando por todos os estágios de sua vida. De uma maneira muito menor (afinal são muitos personagens), encontramos isso também na obra Capitães da Areia. Vemos o desenvolvimento dos personagens Pedro Bala, o líder do grupo, do Pirulito, que tinha uma afinidade muito bonita com a religião, do Sem-Pernas, um dos personagens mais crueis, e também do Gato, do Volta Seca, do Professor, de Dora, e tantos outros.

16681465_711555392336682_1817579233861472309_n

Minhas impressões em relação ao livro foram as melhores. Em nenhum momento eu fiquei entediada, ou desanimada com a leitura. O modo lírico, tão poético que Jorge Amado descreveu as situações, as personagens, a Bahia, os pensamentos e ações de seus personagens, foram muito profundas. Em vários momentos me peguei avaliando meus julgamentos. Sabe aquela sensação de você engolir uma palavra ruim que estava prestes a falar para alguém? E percebe que este alguém é quem está com a razão? Senti isso frequentemente. E foi me dando um nó na garganta, uma vontade de chorar, ao perceber o quanto ainda devo melhorar como ser humana.

asfda-d

Este trecho acima é um dos mais lindos do livro. Eu já havia assistido ao filme (que será assunto para outra postagem), e foi a cena que me fez chorar: a cena das crianças no Carrossel. Se você já leu, ou assistiu ao filme, deve lembrar-se quão bela é. Mostra que mesmo em meio ao caos do dia-a-dia dos Capitães (com crimes, com a fome, com a prostituição), eles ainda são crianças, eles ainda possuem sonhos e querem brincar.

Enquanto eu lia o trecho, eu me lembrava muito desse vídeo abaixo (e ainda bem que deixei salvo em meu Facebook). Esse trechinho de vídeo sempre me faz ter vontade de voltar a ser criança (inclusive, quem souber onde se passa esse vídeo, quem é o moço, ou um vídeo maior, deixe pra mim nos comentários, por favor!).

Leia o quanto antes esta obra. Eu tenho certeza que ela irá mudar seu modo de ver a vida.

Título: Capitães da Areia

Autor: Jorge Amado

Editora: Companhia das Letras

Páginas: 283 p.

Músicas que acalmam a alma [Parte 11]

Oi gente, tudo bem?

Espero que estejam bem. Queria muito estar mais presente aqui no blog, postar mais resenhas para vocês. (Acho que esta semana que fiquei mais presente… mas o hiato foi grande, né?). Este tipo de postagem (música, playlist), quando comecei a fazer, era realmente para compartilhar com vocês os meus gostos musicais. Agora já estou ficando incomodada, e parece que estou tapando buraco haha. Estou sendo sincera, como sempre.

Mas o que mais tenho feito na vida é escutar músicas. Inclusive qualquer dia irei mostrar as playlists que estou ouvindo diariamente em meu serviço. Músicas mais calminhas, músicas celtas, clássicas… As quatro músicas de hoje, eu espero que vocês gostem 😉

Não vou me adaptar – Nando Reis

Alma – Zélia Duncan

Mundo inteiro – Roberta Campos

Agora eu quero ir – Anavitória

O que estou lendo? [Maio 2017]

Olá, tudo bem por aí?

Ultimamente não tenho lido muita coisa. Tenho mais assistido séries, ouvido músicas, comido, dormido… Coisa boa, né?! Eu sei. Mas como eu sempre digo, aproveito que ainda não sou casada, e tenho essas regalias (apesar que a única coisa que não faço em casa é cozinhar rs). Mas mesmo lendo tão pouquinho, resolvi postar hoje, e mostrar a vocês o que estou lendo – devagar e sempre. Não irei falar muito sobre os livros, afinal teremos resenhas aqui (não é mentira!).

Cem anos de solidão, de Gabriel García Márquez.
Estou totalmente fascinada com a história e os seus personagens. Sempre digo que era o clássico que eu mais temia na vida. E hoje vejo o quanto de tempo perdi por não ter começado a ler antes.

Van Gogh, de David Haziot.
Estou bem no começo do livro ainda. Eu estava lendo um capítulo todos os dias, antes de dormir. Mas aí comecei a assistir a uma série nova (só vinte minutinhos por episódio…), e vocês já sabem, né?! Terei que começar novamente. Mas ainda considero que “Estou lendo”.

Grandes esperanças, de Charles Dickens.
Também terei que começar novamente. Já havia passado da página 100, mas errei feio: não utilizei meu caderninho de “Diário de Leitura”, como aconteceu com David Copperfield. Agora já me perdi na história. Fora que já é o terceiro calhamaço que estou apresentando a vocês só agora…

Os miseráveis, de Victor Hugo.
O quarto calhamaço. Terei que ler minhas anotações haha. Essa postagem está quase virando “O que quero ler”, ao invés de “O que estou lendo” haha.

Poesia Reunida, de Adélia Prado
Novelas Exemplares, de Miguel de Cervantes
Contos completos, tomo 1, de Tolstoi
Pesadelos e paisagens noturnas, volume 1, de Stephen King

Desses quatro livros, leio um pouquinho por mês, ou nem isso. Da Adélia, lia com o David duas poesias por semana. Agora já estamos lendo quatro por mês… (quando lembramos haha). E os outros livros, por serem contos (e novela, no caso de Cervantes), não me cobro. Leio quando me dá vontade.

E é isso. Acho que a leitura e a literatura passaram a ter um papel diferente em minha vida, não!? E eu as amo ainda mais por isso.

E vocês, o que estão lendo?