TAG dos livros nacionais – Brasileirinho

Oi pessoal, tudo bem?

Hoje venho responder à TAG dos livros nacionais (criado pela Deborah), ou carinhosamente chamado de “Brasileirinho”. São só seis perguntas:

1. Cite um livro nacional de aventura.
R: Acho que posso encaixar esse livro nessa categoria rs. Porque “Cem dias entre céu e mar”, do Amyr Klink é uma verdadeira aventura! Amyr conta com detalhes sua experiência navegando sozinho numa pequena embarcação a remo pelo Oceano Atlântico Sul. Vale muito a pena ler. Tem resenha aqui.

2. Cite um livro nacional que fale de música ou poesia.
R: Um tempo atrás ganhei um livro fantástico do meu pai, chamado Histórias de Canções: Chico Buarque, escrito por Wagner Homem. O autor vai nos revelando as histórias por trás das composições do Chico. Ainda não tem resenha no blog, mas pretendo fazer uma releitura, porque vale também rs.

3. Cite um livro nacional que não conseguiu parar de ler.
R: Aqui entro em contradição: não conseguia parar de ler, mas eu queria. E ao mesmo tempo não queria! K: Relato de uma busca, de Bernardo Kucinski, tem sua história passada durante a Ditadura Militar. É fortíssimo, carregado de cenas angustiantes, mas que você não consegue parar de ler. Resenha aqui!

4. Quais os livros nacionais mais antigos da sua estante.
R: Não tenho plena certeza, mas acho que O peixe que brilha, do autor David Araújo é o primeirão da minha estante!

5. Qual o livro nacional que você parou de ler.
R: Infelizmente não consegui terminar o livro Delirium, de Carlos Patricio. Para mim se tornou algo muito repetitivo, cansativo. Explico melhor nessa postagem.

6. Qual o livro nacional inesquecível.
R: Foi bem difícil responder a essa. Vários nacionais acabam tornando-se inesquecíveis, afinal nossa literatura é tão rica! Mas um que li recentemente, e que eu tinha um medo danado (só por ser clássico, que besteira a minha rs), foi Capitães da Areia, de Jorge Amado! Que livro incrível! Já tem resenha aqui no blog também. Confira aqui.

Anúncios

O fim do ano Book TAG

Oi gente, tudo bem?

Hoje no canal eu respondi à TAG “O fim do ano Book TAG”, que a Mari, do Ainda Leio me marcou!

Perguntas:

1) Há algum livro que você começou este ano e que precisa terminar?
2) Você tem um livro outonal para a transição para a transição para o final do ano? (Eu adaptei para um livro primaveril, porque condiz melhor com a realidade brasileira).
3) Existe uma nova edição / lançamento que você ainda está esperando?
4) Quais os três livros que você quer muito ler antes do fim do ano?
5) Existe um livro que você acha que ainda pode te surpreender e vir a ser o seu favorito do ano?
6) Você já começou a fazer planos de leitura para 2018?

Uns e outros: Contos espelhados

Oi pessoal, tudo bem?

A TAG – Experiências Literárias, em julho, completou três anos de existência! E eles fizeram um trabalho belíssimo, que é o livro que vou comentar hoje. Uns e outros: Contos espelhados (Ed. Dublinense, 2017, 272 p.) irá reunir 20 contos, sendo dez clássicos mundiais, e dez contemporâneos (nove brasileiros e um português) – que conversam com os clássicos.

Com autores consagrados, como Machado de Assis, Liev Tolstói e James Joyce, os contos nos revelam como os temas ainda são atuais. Na verdade, uma das características dos livros (e contos, nesse caso) clássicos é exatamente essa… Como já nos diz Helena Terra e Luiz Ruffato no prefácio:

“(…) o tempo de uma narrativa produz efeito sobre quem a absorve e vice-versa, e em que a especificidade do mundo criada por um escritor reverbera na escrita de outro – o escritor é, antes de tudo, um leitor. Nesse sentido, datas perdem a validade, relógios deixam de marcar as horas, os anos” (p. 11).

Alguns dos autores eu já conhecia, como o próprio Machado, Clarice Lispector e Eliane Brum. Outros, nunca tinha ouvido falar rs – e isso foi incrível para que eu pudesse conhecer a obra. E ainda outros, como o Monteiro Lobato, já conhecia, mas nunca tinha lido – o que também serviu para que eu conhecesse seu estilo de escrita. Ah! E no final de cada conto, há uma pequena biografia dos autores.

“Era grotesca tal máscara, mas a ordem social e humana nem sempre se alcança sem o grotesco, e alguma vez o cruel. Os funileiros as tinham penduradas, à venda, na porta das lojas. Mas não cuidemos de máscaras.” (p. 127/8, do conto Pai contra mãe, de Machado de Assis).

O livro acompanha um encarte, como nas outras edições que a TAG publica. Esse encarte vem também uma breve biografia, e um “direcionamento histórico”, podemos dizer. A época em que o autor escreveu seu texto, alguma curiosidade sobre a vida e obra do autor… E no final do encarte, temos acesso a algumas indicações de filmes “originais” e seus “remakes”. Afinal, como estamos falando de um livro espelhado, nada melhor que indicar também filmes rsrs. Achei o máximo!

Ah, e só abrindo um parêntese, de uma curiosidade que achei muito bacana: um dos contos que mais gostei, que foi o Depois do Baile, de Liev Tolstói, foi inspirado em acontecimentos reais, com o irmão do autor. Isso fez com que eu gostasse ainda mais da história!

“- Ah, meu Deus! – exclamou o ferreiro ao meu lado.

O desfile começou a se afastar, mas continuavam a golpear o homem dos dois lados e ele tropeçava, contorcia-se, os tambores continuavam a bater, a flauta continuava a sibilar, e a figura do coronel, alta e imponente, continuava a caminhar com passo firme, lado a lado com o castigado.” (p. 242, do conto Depois do baile, de Liev Tolstói)

A TAG ainda teve o cuidado de mandar de brinde algumas palavras impressas em imãs (de geladeira, sabe!), para que formássemos poesias. Eu não tinha “brincado” com esses imãs até ontem rs. E criei algumas poesias, que deixo abaixo. Espero que gostem =)

É isso! Vale a pena assinar a TAG? Super vale a pena! Eles estão caprichando muito nas edições, e ao menos com esse livro, a revisão está perfeita. Fora o brinde maravilhoso que acompanha a obra, o encarte é super interessante.

Título: uns e outros: Contos espelhados

Autor: Vários. (Org. de Helena Terra e Luiz Ruffato)

Editora: Dublinense

Páginas: 272 p.

TAG dos 50%

Olá pessoas, tudo bem?

Esta TAG é “comum” nessa época do ano rs. Quando chega julho e agosto, a maioria dos blogueiros faz um levantamento de tudo o que já leu até agora, e o que planeja ler até dezembro. Ano passado eu acho que não fiz… E esse ano minha lista de “lidos” está tão mirradinha, que estou até com vergonha de fazer haha.

Mas mesmo assim, vamos responder né, afinal envolve o segundo semestre (que pretendo ler um pouco mais. Talvez, quem sabe, se Deus ajudar a pobrezinha aqui). Ah, os livros que eu já resenhei, tem link clicável 😉

1. O melhor livro que você leu até agora, em 2017.

R. Cem anos de solidão, do Gabo… Sem dúvida! E essa era uma dívida antiga. Não sei porque demorei tanto a ler. (na verdade eu sei. Eu morria de medo, por ele ser um “clássico”)

2. A melhor continuação que você leu até agora, em 2017.

R. Foi a única, mas com certeza foi incrível! Desventuras em série, do Lemony Snicket. Li do volume 6 ao 13 nesse ano, e enrolei o máximo que consegui, só para que a história não acabasse.

3. Algum lançamento do primeiro semestre que você ainda não leu, mas quer muito.

R. Agora que sou mãe, da Flávia Calina. Eu não sou mãe (ainda), mas se Deus quiser um dia serei, né mesmo? E poxa, eu amo o canal da Flávia! A família Calina é demais ❤

4. O livro mais aguardado do segundo semestre.

R. Com certeza é O labirinto dos espíritos, do Carlos Ruíz Zafón. É o quarto e último volume da série Cemitério dos Livros Esquecidos. Mas terei que comprar só ano que vem… Esse ano não estou comprando livros (pois é, estou conseguindo!)

5. O livro que mais te decepcionou esse ano.

R. Acho que nenhum me decepcionou esse ano (também, li tão pouco haha).

6. O livro que mais te surpreendeu esse ano.

R. Van Gogh: Biografia, escrito por David Haziot. Eu já imaginava que iria gostar, mas não tanto! O autor escreve tão bem, fiquei tão envolvida com a vida do Vincent, que mesmo já sabendo o final do livro (o motivo da morte, para ser mais exata rs), eu chorei!

7. Novo autor favorito (que lançou seu primeiro livro nesse semestre, ou que você conheceu recentemente).

R. Rebeca Maria Teles, autora do livro Viagem a Fátima.

8. A sua quedinha por personagem fictício mais recente.

R. Vixi, não tive não hahaha. E acho que nem vou ter (se eu ler o que pretendo…)

9. Seu personagem favorito mais recente.

R. Personagem histórico vale? haha Van Gogh!

10. Um livro que te fez chorar nesse primeiro semestre.

R. Como todos que me acompanham sabem… Eu sou bem chorona. Mas um livro que me fez chorar várias vezes foi Cem anos de solidão. Era uma dor tão profunda, que nem sabia de onde vinha. Na verdade, a escrita do Gabo me proporciona sempre essa dor (mais alguém sente isso?).

11. Um livro que te deixou feliz nesse primeiro semestre.

R. Bear, da Bianca Pinheiro.

12. Melhor adaptação cinematográfica de um livro que você assistiu até agora, em 2017.

R. Os pássaros, de Alfred Hitchcock. (não assisti muitas adaptações, mas essa, por mais antiga que seja é massa hein! Afinal: é um clássico 😉 ).

13. Sua resenha favorita desse primeiro semestre (escrita ou em vídeo).

R. Foram várias… Mas como é para escolher só uma…

14. O livro mais bonito que você comprou ou ganhou esse ano.

R. Anna e o planeta, do Jostein Gaarder! Eu ganhei do namorado, e era o livro mais desejado! (Afinal, meu autor favorito).

15. Quais livros você precisa ou quer muito ler até o final do ano?

R. Bom, eu tenho um projetinho de leitura aqui… Que com certeza não irei cumprir. Os que eu me sinto na obrigação de ler até o final do ano são os volume 5 a 7 de Harry Potter (que vergonha!).