Leituras Janeiro / Fevereiro 2018

Oi gente, tudo bem?

Estou meio atrasada com essa postagem… Deveria ter sido feita no final de Janeiro… Mas vocês me entendem? Me perdoam? haha. A pessoa jura que vai melhorar, mas não melhora. E ninguém desiste de mim. Que bonito… Obrigada 🙂

Mas vamos lá! Estou lendo algumas coisas muito interessantes… Não tanto quanto gostaria, mas os meus outros projetos, dos quais já comentei em outra postagem, estão indo bem. No mês de março irei me dedicar um pouco mais à leitura (eu acho. Não prometo mais nada hahaha).

Janeiro
1. A vida de Maria – Rainer Maria Rilke – 42 p.
2. O quinze – Rachel de Queiroz [Releitura] – 161 p.
3. Eu sou Malala – Malala Yousafzai – 342 p.
4. Quincas Borba – Machado de Assis [Releitura] – 174 p.
5. Selou e Maya / Maya e Selou – Lara Meana e María Pascual de la Torre – 32 p.
6. Areia: (À fragmentação da pedra) – Milton Carlos Rezende
7. Padre Pio: Tragédia de fé – Padre Luna – 118 p.

Fevereiro
8. A menina e o equilibrista – Bruno Félix – 184 p.
9. Maria, a agraciada de Deus – Frei Luis Sartori – 96 p.
10. O pássaro raro – Jostein Gaaarder [Releitura] – 208 p.
11. Mística de Fátima – Nilza e Gilberto Maia – 269 p.

Total de incríveis 1.626 páginas.

Os meus projetinhos de leitura andam de vento em popa.

O desafio pessoal de Janeiro, eu consegui cumprir. Foi o infantil Selou e Maya / Maya e Selou (infantil), e Eu sou Malala, de Malala Yousafzai. Para o Desafio Todo Leitor, do Glen (categoria autor importante que nunca li) foi o mesmo livro (gente, Malala ganhou o Nobel da Paz! Super importante! rs).

Meu desafio pessoal de fevereiro eu não cumpri… Mas ok. Pelo menos o Desafio Todo Leitor eu consegui! rs. Eu reli O pássaro raro (categoria autor favorito), e foi muito melhor do que eu me lembrava. Havia lido há cerca de 10 anos… e não havia gostado nada. Não estava habituada ao Jostein como contista, e sim como romancista… E talvez o livro fosse um pouco pesado para minha idade. O fato é que dessa vez eu me emocionei, me arrepiei, chorei, e pensei muito na vida, no universo e tudo o mais rs. Foi uma experiência incrível, e pretendo fazer uma resenha a vocês.

O livro do #ProjetoMindlin de Janeiro foi O quinze, de Rachel de Queiroz. E foi uma releitura incrível! Eu não me lembrava muito bem da história, por ter lido há muito tempo – e para a escola rs.

O livro do #ProjetoMindlin de Fevereiro foi O gaúcho, de José de Alencar. Como eu não tinha esse livro em casa, e não me organizei para pegar emprestado na biblioteca, também não li.

Mas em Março, se você ainda não viu o vídeo da Nina, iremos ler Grandes esperanças, de Charles Dickens. Na verdade, a leitura se estenderá para Abril também, por ser um livro mais gordinho. Assista ao vídeo, logo abaixo, e se você sentir vontade, participe conosco! É só entrar em contato através do Vídeo da Nina (lá no Youtube), ou me deixar um comentário aqui mesmo, no blog.

Ah, e para você se organizar, confira os próximos livros que serão lidos para o #ProjetoMindlin ao longo do ano de 2018:

► Próximos livros do Projeto Mindlin:

Maio: O Primo Basílio, de Eça de Queiroz
Junho: Dom Quixote de La Mancha, de Miguel de Cervantes
Julho: Dom Quixote de La Mancha, de Miguel de Cervantes
Agosto: Dom Quixote de La Mancha, de Miguel de Cervantes
Setembro: Dom Quixote de La Mancha, de Miguel de Cervantes
Outubro: O Sertanejo, de José de Alencar
Novembro: Til, de José de Alencar
Dezembro: O Pequeno Príncipe, de Antoine de Saint-Exupéry

Agora, para Março, meu Desafio Pessoal será ler 1 best-seller + 1 livro clássico. Sendo que o best-seller será A última carta de amor, de Jojo Moyes (nunca li nada da autora), e o livro cássico será Contos de fantasmas, de Daniel Defoe (faz muito tempo que tenho em casa).

Para o Desafio Todo Leitor, Março será a vez de ler uma biografia. Pretendo ler Para seguir minha jornada: Chico Buarque, da autora Regina Zappa.

Fora os livrinhos extras, que sempre entram na fila… E que às vezes consigo ler somente esses extras hahaha O importante é ler 🙂

E vocês, o que fizeram de bom nos meses de Janeiro e Fevereiro!?

Anúncios

Melhores Leituras de 2017

Oi pessoal, tudo bem?

No ano de 2017 li vários livros, digamos… medianos. É meio triste dizer isso haha. Mas é a realidade… Talvez meus gostos tenham mudado um pouco, e minha frequência em ler diminuiu bastante. Ou talvez eu esteja me readaptando às leituras. Hoje, nem tudo me agrada, e fiquei um pouquinho mais exigente com a qualidade do que leio. Percebi isso quando doei alguns livros no final de 2017 à minha prima. Na pilha tinha até um livro que havia considerado “favorito” em 2016. Em “sã consciência” eu não teria feito isso – doado – há um tempo atrás. Mas será que na época eu “favoritei” da forma correta? Será que não foi um descuido meu, ou uma ansiedade em completar uma lista de dez livros favoritos?

Pois bem. Fui fazer minha lista de favoritos de 2017… e consegui selecionar seis livros (sendo que um deles ainda não foi publicado) + uma série. E foi bem pensado, viu? Não foi uma coisa feita às pressas, ou para alcançar um número de favoritos. Estou sendo realista e apresentando a vocês somente os livros que realmente me tocaram de alguma forma, que fizeram a diferença em meu ano. Então vamos à lista!

Capitães da areia – Jorge Amado – #ProjetoMindlin (Resenha escrita)

Sempre tive um medo em ler essa obra, por causa da escola! Em minha cabeça, Jorge Amado era um daqueles nacionais inalcançável, que só lemos por obrigação… E quão grata foi minha surpresa ao terminar essa obra! Leitura muito sensível, que me fez pensar sobre as crianças (e adultos também, oras!) que moram nas ruas, de forma totalmente diferente. Esse livro é uma aula de empatia. Tem resenha aqui!

Como encontrar sua alma gêmea sem perder sua alma – Jason e Crystalina Evert (Resenha escrita: Parte 1 – Parte 2)

Ganhei esse livro do meu namorado no final do ano passado, quando ainda não namorávamos rs. Demorei um tempo grande para ler, por ser forte demais, real demais. Mas ainda bem que li aos poucos. Assim pude absorver melhor da obra! Depois que li, comecei a me aceitar de uma forma melhor, mais humana comigo mesma. É engraçado como de vez em quando nos fazemos de imbatíveis, só para poder mostrar às pessoas que nós “podemos” algo, e nos esquecemos que também temos nossa história de vida, que temos nossas dores, lutas… E que tudo isso faz parte de nossa construção como ser humano. A auto-aceitação deve ser mais debatida e acolhida por nós. E nós não devemos ter vergonha de nossa história, mas lutar para que melhoremos a cada dia. E esse livro me ensinou isso.

Cem anos de solidão – Gabriel García Márquez

Mais um livro pra conta dos que eram temidos! Clássico mundial que eu morria de medo, por besteira de minha parte. Todas as pessoas que viam esse livro em minha estante me diziam que eu deveria ler, e que eu iria amar a leitura no final. E o medo de ler, e não gostar?! Que bobeira, não é? haha se eu não gostasse, nada ia acontecer… Ia ser somente uma experiência que não deu certo, e bola pra frente. Mas aconteceu sim o que todos me diziam: eu amei. No começo nos assustamos com a quantidade de personagens com nomes iguais, com a história fantástica que Gabo vai nos contando… Mas é impossível largar, é impossível não se apaixonar pelos Buendía, por Macondo, pelos diálogos, pelas situações engraçadas e dramáticas. É (quase) impossível você não terminar essa obra e dar um suspiro de saudade. Vai por mim, leia… Você vai gostar – e se não gostar, não tem problema 😉

Van Gogh: Biografia – David Haziot

Quando eu era criança, fazia o que todas as meninas faziam (na época faziam… como será hoje?!): tinha um caderninho de recordações, que pedia para as pessoas escreverem alguma mensagem pra mim, qualquer coisa que fosse. Foi uma ideia super legal, que hoje reconheço rs (na adolescência achei uma besteira, e quase joguei fora. Mas na adolescência tudo é besteira pra nós haha). E uma das mensagens que mais me tocaram foi da minha prima Juliana. Ela dizia que Van Gogh foi um pintor que nunca havia sido reconhecido em vida… mas que não desistiu nunca de seus sonhos. E desde essa época eu fiquei curiosa sobre o artista. Afinal, quem foi Van Gogh? E que coisa mais fantástica é essa de sempre correr atrás dos sonhos? Em 2016 eu vi uma biografia gigante do autor, mas que não tive condições para comprar. Então acabei comprando essa menorzinha, da L&PM. Li vorazmente no ano passado, e foi talvez, minha leitura favoritíssima de 2017! Que vida espetacular – e triste – teve esse homem! E que paixão ele viveu todos seus amores e desamores. Fiquei encantada, tão encantada, que não consegui escrever uma resenha à altura.

Sobre a escrita – Stephen King

O rei do terror escrevendo não-ficção era algo que nunca tinha lido. E me surpreendi demais! No começo do livro é apresentado ao leitor alguns fatos de sua infância e adolescência, e como começou seu processo de escrita e sua fama. Depois, King dá várias dicas de como seria escrever bem (claro, segundo seu método rs).

Viagem a Fátima – Rebeca Maria Teles

O livro da Rebeca surgiu com um Trabalho de Conclusão de Curso. Ela se formou em Jornalismo na faculdade em que trabalho. Seu livro fez com que eu tivesse ainda mais vontade em visitar Fátima, e conhecer os mistérios que rondam sua história. Um livro poético, informativo, e que eu gostaria muito de uma continuação!

Desventuras em série – Lemony Snicket

É uma série considerada infantil / infanto juvenil… Mas tão deliciosa de ler! Fiquei quase um ano lendo os 13 livrinhos, e me apeguei muito aos personagens. Quando estava no 11 já sentia saudades do trio Baudelaire, do conde Olaf e seus disfarces, das aulas de ironia do Lemony Snicket.

E vocês, quais foram os livros favoritos de 2017? ❤

TAG dos livros nacionais – Brasileirinho

Oi pessoal, tudo bem?

Hoje venho responder à TAG dos livros nacionais (criado pela Deborah), ou carinhosamente chamado de “Brasileirinho”. São só seis perguntas:

1. Cite um livro nacional de aventura.
R: Acho que posso encaixar esse livro nessa categoria rs. Porque “Cem dias entre céu e mar”, do Amyr Klink é uma verdadeira aventura! Amyr conta com detalhes sua experiência navegando sozinho numa pequena embarcação a remo pelo Oceano Atlântico Sul. Vale muito a pena ler. Tem resenha aqui.

2. Cite um livro nacional que fale de música ou poesia.
R: Um tempo atrás ganhei um livro fantástico do meu pai, chamado Histórias de Canções: Chico Buarque, escrito por Wagner Homem. O autor vai nos revelando as histórias por trás das composições do Chico. Ainda não tem resenha no blog, mas pretendo fazer uma releitura, porque vale também rs.

3. Cite um livro nacional que não conseguiu parar de ler.
R: Aqui entro em contradição: não conseguia parar de ler, mas eu queria. E ao mesmo tempo não queria! K: Relato de uma busca, de Bernardo Kucinski, tem sua história passada durante a Ditadura Militar. É fortíssimo, carregado de cenas angustiantes, mas que você não consegue parar de ler. Resenha aqui!

4. Quais os livros nacionais mais antigos da sua estante.
R: Não tenho plena certeza, mas acho que O peixe que brilha, do autor David Araújo é o primeirão da minha estante!

5. Qual o livro nacional que você parou de ler.
R: Infelizmente não consegui terminar o livro Delirium, de Carlos Patricio. Para mim se tornou algo muito repetitivo, cansativo. Explico melhor nessa postagem.

6. Qual o livro nacional inesquecível.
R: Foi bem difícil responder a essa. Vários nacionais acabam tornando-se inesquecíveis, afinal nossa literatura é tão rica! Mas um que li recentemente, e que eu tinha um medo danado (só por ser clássico, que besteira a minha rs), foi Capitães da Areia, de Jorge Amado! Que livro incrível! Já tem resenha aqui no blog também. Confira aqui.

Desafio Literário 2018

Oi pessoal, tudo bem?

Venho apresentar a vocês hoje o meu desafio pessoal (que poderia chamar algo como “Remake”, pois já fiz um desafio assim em 2014 rs) de leitura para o ano de 2018. Eu estou participando também do Desafio Todo Leitor (o qual o Glen me desafiou). Mas não contente, e provavelmente querendo passar vergonha por aqui, pela quantidade de livros para ler durante um mês, botei na cabeça que irei cumprir tudo isso que está abaixo. Do ano passado só mudei uma categoria.

Então, veja o que aprontei. Se durante o ano você quiser ver como está indo meu mico, pode clicar aqui, que a postagem ficará fixa. Ah, pretendo fazer resenha de todos os livros para os desafios. Oremos!

Desafio Literário 2018

Clique em cima do título para ler a resenha

Janeiro – 1 livro infantil + 1 autor consagrado por prêmio
livro infantil – Selou e Maya: Maya e Selou – Lara Maena
autor consagrado por prêmio – Eu sou Malala – Malala Yousafzai (Malala ganhou o Nobel da Paz. E vale sim! rs)

Fevereiro – 1 livro com autor desconhecido + 1 livro de um autor que eu não goste
livro com autor desconhecido – Horas sombrias – Vários autores (antologia de contos de terror/suspense/thriller)
livro de um autor que eu não goste – Mrs. Dalloway – Virginia Woolf (não é que eu não goste dela, mas tenho infinita dificuldade em lê-la)

Março – 1 best-seller + 1 livro clássico
best-seller – A última carta de amor – Jojo Moyes
livro cássico – Contos de fantasmas – Daniel Defoe

Abril – 1 livro pertencente a uma saga + 1 livro e assistir sua adaptação ao cinema
livro pertencente a uma saga – Harry Potter e o enigma do príncipe – J. K. Rowling (releitura)
livro e sua adaptação ao cinema – Harry Potter e as relíquias da morte – J. K. Rowling

Maio – 1 livro citado em algum filme + 1 livro sobre espiritualidade
livro citado em filme – Persuasão – Jane Austen (citado em A Casa do Lago)
livro sobre espiritualidade – Virgem Maria, morada do mistério – Érika Vilela

Junho – 1 livro sugerido + 1 livro abandonado
livro sugerido – Últimas palavras – Christopher Hitchens (indicado pelo Leon Idris)
livro abandonado – Ecos do silêncio – José Augusto Nasser

Julho – 1 livro “banido” / “proibido” + 1 biografia
livro “banido” – O cobrador – Rubem Fonseca (se eu conseguir comprar) 😉
livro biografia – Discobiografia Legionária – Chris Fuscaldo

Agosto – 1 livro com título engraçado + 1 livro de suspense ou terror
livro com título engraçado – Nas margens do Rio Piedra eu sentei e chorei – Paulo Coelho (releitura. E sim, eu acho um título engraçado. Parece título de filme que não é Hollywoodiano haha)
livro de suspense/terror – Quando os Adams saíram de férias – Mendal W. Johnson

Setembro – 1 livro de autor começado com a letra Q + 1 infanto juvenil
livro de autor começado com a letra Q – As três Marias – Rachel de Queiroz
livro infanto juvenil – Tchau – Lygia Bojunga (releitura, que vale resenha!)

Outubro – 1 clássico brasileiro + 1 livro de meu autor favorito
clássico brasileiro – Ana Terra – Erico Verissimo (releitura)
livro de meu autor favorito – O dia do curinga – Jostein Gaarder

Novembro – 1 livro de contos + 1 livro de minha área (Biblioteconomia)
livro de contos – Várias histórias – Machado de Assis
livro de minha área – O poder das bibliotecas – Marc Baratin e Christian Jacob

Dezembro – 1 livro com animais protagonistas + 1 livro relacionado ao tema Música
livro com animais protagonistas – Só os animais salvam – Ceridwen Dovey (se eu conseguir comprar) 😉
livro relacionado ao tema música – Renato Russo – Carlos Marcelo

Desafio Todo Leitor (2018)

Oi gente, tudo bem?

Fui desafiada pelo Glen, do Canal Páginas de que gosto, a cumprir doze desafios literários no ano de 2018! Fiquei super animada, e aceitei, é claro! Abaixo você pode ver meu vídeo contando quais livros eu escolhi. E abaixo do vídeo as categorias que o Glen propôs! Ah! Eu ainda terei um desafio pessoal para 2018… E espero cumprir. Logo eu conto para vocês qual será o desafio 😉

Categorias para o desafio:
JANEIRO – Autor Importante que nunca li;
FEVEREIRO – Autor favorito;
MARÇO – Uma biografia;
ABRIL – Só eu que não li?;
MAIO – Uma releitura;
JUNHO – Um autor do seu estado;
JULHO – Um livro esquecido na estante;
AGOSTO – Um não-ficção;
SETEMBRO – Um clássico brasileiro;
OUTUBRO – Um livro infantil;
NOVEMBRO – Um livro que explore a fé;
DEZEMBRO – Um grande clássico.