Resenha [Vídeo] – Em algum lugar nas estrelas

Olá gente, tudo bem?

Finalmente liberei um vídeo lá no canal!

E vou explicar porque não fiz isso antes, colando o aviso que deixei no vídeo: O Youtube agora retirou aquele lance de você “grudar” um vídeo no outro rs, e nem deixar recadinhos, como eu fazia antigamente. Tentei baixar um editor de vídeos (olha!! Até isso fui fazer, eu que sempre disse que jamais usaria editor rsrs), mas meu computador não quer baixar! Eu não entendo o porquê. Talvez eu tenha que formatar.

Enquanto não consigo, terei que fazer vídeos de até 8:11, porque é o tempo que minha câmera grava rsrs

Enfim, mesmo não finalizando o vídeo, acho que deu para entenderem o recado, certo? Livro muito bom! Indicado!

Anúncios

Últimos Contos Lidos #1

Olá gente, tudo bem?

No mês de Outubro, eu me propus a ler alguns contos, de diferentes livros. Sempre gostei muito de contos e crônicas, e a forma como os personagens são desenvolvidos. Então resolvi comentar algo com vocês sobre os contos que li neste mês. Bem pouquinho, claro, para não tirar o encanto de sua leitura 🙂

Do livro Todos os Contos, de Clarice Lispector

Conto 1: O triunfo (página 27 a 32): Luísa acorda e percebe que seu companheiro foi embora. Jorge não deixa nenhum bilhete; deixa apenas suas últimas palavras: ‘Você, você me prende, me aniquila! Guarde seu amor, dê-o a quem quiser, a quem não tiver o que fazer! Entende? Sim! Desde que a conheço nada mais produzo! Sinto-me acorrentado. Acorrentado a seus cuidados, a suas carícias, ao seu zelo excessivo, a você mesma! Abomino-a! Pense bem, abomino-a!” (p. 28). ♦ Apesar de ser um conto bem curtinho, de apenas cinco páginas, ele é intenso. Temos o ponto de vista somente de Luísa, e não sabemos de verdade o que aconteceu para que a discussão viesse à tona. O final do conto é encantador e traz uma esperança nova à vida da protagonista. ♣ Indicado!

Conto 2: Obsessão (página 33 a 68): Clarice irá nos apresentar uma personagem de nome Cristina, que durante toda sua vida foi “dependente” de alguma forma, de alguém. Seus pais traçavam sua vida, seu marido sempre estava “propondo” que fizesse algo pela casa ou por ele. Segundo ela mesma, vivia de modo superficial. Até encontrar uma pessoa: Daniel. Era aquele tipo de homem dominante, que acha que tudo o que fala têm de ser a razão para a vida. Um homem com suas crenças e descrenças em tudo e em todos, que a seu ver, fazia um favor a Cristina: tentava lhe abrir os olhos. ♦ Gente, que conto pesado! Com suas frases filosóficas, típicas de Clarice, a sensação de afundar em um buraco foi me dominando ao longo da leitura. A personagem principal aos poucos foi me deixando triste, e o personagem Daniel me deu nojo desde a primeira vez em que apareceu no conto. ♣ Indicadíssimo!

Pretendo fazer postagens assim, periodicamente. Sei que muitas pessoas gostam de histórias curtinhas, como eu. Além disso, sempre é bom indicarmos contistas: acabamos conhecendo autores novos 😉

 

Resenha – Jogo perigoso – Stephen King

Oi gente, tudo bem?

Dessa vez foi diferente: saiu primeiro a resenha em vídeo, e agora sim a resenha escrita rs. Como sempre, faço os dois tipos de resenha, porque aqui temos todos os gostos, né não?! Vamos lá então:

Jogo perigoso (Ponto de leitura, 2012, 453 p.), do autor Stephen King, conta a história de um casal, Gerald e Jessie, que vão para uma casa de veraneio, com vizinhos bem distantes, para tentar resolver alguns problemas de seu relacionamento. Gerald quer apimentar a relação, e acaba amarrando Jessie à cama. Porém sua esposa fica desconfortável, pede para retirá-la dali, e durante a discussão de desamarrá-la ou não, Gerald acaba morrendo. Jessie então fica presa naquela cama, sem ninguém por perto para poder escutar seus gritos. E com seus pensamentos, lembranças e traumas passados, terá que conviver, enquanto tenta sair daquele apuro.

“As pessoas quase sempre estão livres de almas-penadas e assombrações e mortos-vivos à luz do dia, e em geral estão livres deles à noite quando têm companhia, mas, quando estão sós, o caso muda” (p. 185)

Minha opinião: Gente, que livro de tirar o fôlego! Eu não costumo gostar tanto dos finais de livros do Stephen King, mas em Jogo Perigoso, ele foi muito feliz! Foi algo bem coerente com o que ele descreve ao longo de sua narrativa, e me parece que não ficou nada de fora, nenhuma linha solta. A Jessie é uma mulher forte, sua vida não foi fácil… Eu me coloquei em seu lugar em vários momentos – de seu passado e presente.

Tem muitos trechos que me dão agonia só de lembrar, e um em especial que prefiro não ficar pensando nesse momento em que escrevo a postagem para vocês, afinal já passa da meia noite, e logo vou dormir 😀 hahaha. Sou medrosa mesmo! O King é tido como o mestre do terror, mas eu encaixaria aí, do suspense também. Eita homem para fazer um suspense bom! Quando leio algo dele, não consigo nem piscar, quanto mais prestar atenção no que estou fazendo rs (minha mãe que o diga, sendo que quase fiz bagunça no comércio dela).

Ah! Algo que achei muito interessante também, foi que em um trecho da história, o King cita a personagem Lolita (do livro de mesmo nome, do Vladimir Nabokov). Eu estou lendo o livro, e entendi a referência. Fiquei toda boba rsrs. Sério, se eu não estivesse lendo Lolita, talvez o trecho não tivesse feito tanto sentido pra mim, dentro do contexto.

A mensagem que o livro deixou mais forte, para mim, foi que os verdadeiros monstros estão em nossa cabeça. Nosso psicológico, emocional e até espiritual podem mexer com nosso físico de uma forma grave, se não cuidarmos bem. Não adianta deixarmos os problemas guardados na estante… Uma hora ou outra ele virá nos fazer uma visita nada agradável.

Eu tinha esse livro há mais de um ano, mas adiantei a leitura por causa do filme que a Netflix lançou no mês de outubro. Farei uma postagem para vocês mais pra frente (se não, teremos três postagens diretas falando sobre o filme/livro… rs), mas já adianto que gostei bastante de sua adaptação.

Enfim, vale muito a pena ler esse livro, e também assistir à sua adaptação. São duas mídias diferentes, e as duas me agradaram demais!

Se você já leu ou assistiu, me conte o que achou nos comentários 😉