Volto semana que vem | Maria Pilla

Oi gente, tudo bem?

Vocês já sabem que textos que têm a ver com guerra no geral (em especial Segunda Guerra Mundial), Ditadura Militar ou atrocidades do tipo, são textos que me chamam a atenção. Vejo que grande parte dos blogs e canais que sigo, sentem essa mesma atração. Talvez essa atração – triste, tão triste! -, seja para querer desvendar, o mínimo que seja, o psicológico desses seres que chamamos de “humanos”.

volto-semana-que-vem

Maria Pilla nos traz em seu livro, Volto semana que vem (Cosac Naify, 2015, 96 p.) alguns recortes de sua memória. Essas memórias vão da década de 50, até por volta do início dos anos 2000. Encontramos trechos bem pessoais, alguns tristes, outros com um ar esperançoso. Todos de alguma forma voltados à Ditadura Militar. Maria era militante esquerdista numa época em que era errado pensar de forma contrária aos mais poderosos. Foi presa, torturada, e exilada na França e na Argentina.

“Alguém ordenou que fôssemos para o pátio, passando pelos guardas e os animais. O som das botas contra as lajotas do piso recebia o reforço dos corações amedrontados. A descida durou pouco. Dos janelões da escada, víamos as presas dos outros pavilhões ocupando o pátio como manchas coloridas. Mas foi apenas quando sentimos a luz do sol na grande área lajeada é que demos conta de que havia militares armados nos telhados. Saber que se tratava de intimidação não aliviava o medo. Nunca avisavam o que fariam conosco.” (p. 74)

O título do livro foi uma frase dita ao seu próprio pai. Em meio à repressão militar, Maria promete que volta “na semana que vem”, mas aparece novamente em casa dez anos depois. Em seus textos, conseguimos sentir não somente o terror que foi esse período inteiro, mas a incerteza de estar vivo daqui a quinze minutos. Um dos trechos que mais me chamou a atenção, foi esse acima.

Há também alguns trechos que são diretamente ligados à infância, e esses eu considero os mais pessoais. Alguns, confesso, não entendi muito bem. Acredito que eles têm uma importância bem grande para a autora, mas eu, somente como leitora, fiquei um pouco perdida. Se eu indico? Claro que indico! Principalmente para quem gosta desse gênero e assunto. Ah, um aviso: a escrita de Maria é bem poética (mas também bem direta!), e nada cronológica. Então, veja as datas que ela nos indica no início de cada memória, mas não se apegue tanto. Você vai entendendo conforme a leitura vai fluindo 😉

Ouça aqui uma entrevista que a coluna Com a palavra, o livro (da Rádio Cultura FM) fez com a autora: Link.

Leia aqui a entrevista que Lorena Paim e Adélia Porto, do site Sul 21, fizeram com a autora: Link.

Título: Volto semana que vem

Autor: Maria Pilla

Editora: Cosac Naify

Páginas: 96 p.

Anúncios

3 comentários sobre “Volto semana que vem | Maria Pilla

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s