Resenha Serial Killer – Maratona #EuTôDeFérias 6/10

Olá! Boa tarde pra você!

Sabe quando você termina de ler um livro e fica pensando: como raios eu vou fazer uma resenha pra isso, meo Deus?! =O É assim que estou me sentindo agora…

DSCN0750   DSCN0754

O livro Serial Killer: Louco ou cruel? (WVC, 2004, 300 p.), escrito pela administradora de empresas Ilana Casoy é simplesmente assustador. Muito mais que assustador, é demoníaco. Ilana nos apresenta logo no início do livro as várias facetas dos assassinos: psicopatas, assassinos comuns e serial killers. A diferença dos Serial é que eles têm um jeito diferente de matar e deixar suas provas: sua assinatura. Ilana explica de um modo bem simples todos os passos que são utilizados pela polícia (ou FBI). A disposição das datas e locais dos casos também auxiliou bastante. Percebe-se que Ilana fez uma boa pesquisa, pela quantidade de bibliografia citada no final do livro, e pelos detalhes.

Depois Casoy revela casos que aconteceram nos Estados Unidos, no Canadá, em Chicago e outras cidades. São casos horripilantes: com descrições do assassinato, das cartas que a polícia recebia do Serial, do julgamento e de toda a culpa que o Serial não sentia. Temos desde os assassinos mais famosos, como mesmo não tendo uma identidade certa até hoje, todos já ouviram falar: O Zodíaco; até os assassinos que inspiraram filmes e livros, como Ed Gein (que inspirou os clássicos O silêncio dos Inocentes, Psicose e O massacre da serra elétrica).

Sempre foi um prisioneiro modelo: gentil, polido e discreto. É suspeito de ter cometido pelo menos mais cinco assassinatos, mas nada foi provado. Declarou à polícia que jamais teve relações sexuais com os cadáveres que obtinha, mas gostava de tirar sua pele e vestir-se com ela.

Alguns crimes são tão bizarros que levamos tempo para digerir e acreditar que realmente aconteceu. A grande maioria das histórias é contada em detalhes (sórdidos, por sinal). Ilana até arrisca entrar um pouco em detalhes que eu consideraria pessoais à família da vítima. Por mais que a família tenha-lhe dado permissão, são coisas tão íntimas, que ao ler, senti-me ferida por eles.

Os pais de Leslie Mahaffy, Dan e Debbie, tiveram seu casamento destruído durante o processo. O stress foi crucial. Debbie organiza anualmente um dia de memória das vítimas de crime em Burlington e trabalha no Programa para Vítimas de Crimes, da promotoria.

Porém, algumas partes me deixaram bem mais comovida que outras. Abaixo você pode conferir duas delas (Aviso: são partes bem fortes).

Quando interrogou o pai de Grace, Dempsey teve a coragem de argumentar que, afinal de contas, os próprios pais entregaram a filha para Fish. Na opinião dele, ela não havia sido sequestrada. (…) Uma caixa com os restos mortais da menina foi trazida para a Corte. O promotor abriu-a e retirou o crânio de Grace para que todos vissem. A defesa pediu um recesso imediatamente! (p. 204)

Depois de destripar o corpo, masturbava-se com as vísceras. Comia seus corações e tripas, e fazia croquete de carne humana. Adorava fritar os músculos das vítimas que achava mais atraentes e deliciar-se com a “iguaria” (p. 113). 

DSCN0751 DSCN0752 DSCN0753

Quando terminei de ler o livro, vieram várias sensações: medo, desconfiança, temor, raiva, preocupação, incompreensão… Mas sobretudo: curiosidade. Sempre gostei muito de ler coisas fortes, que envolvem principalmente psicologia. A leitura fluiu muito bem: Ilana escreveu muito bem, envolvendo-me até a última página. Por mais que em várias partes eu tenha passado mal (de ânsia mesmo!), eu tinha cada vez mais curiosidade de saber o que acontecia nos outros casos. Para quem gosta do gênero psicologia, e até mesmo terror/horror, vai ser um prato super cheio.

PS: Amanhã sairá Resenha em vídeo! 😉

Título: Serial Killer: Louco ou cruel?

Autor: Ilana Casoy

Editora: WVC

Páginas: 300 p.

Anúncios

7 comentários sobre “Resenha Serial Killer – Maratona #EuTôDeFérias 6/10

  1. Dani, aiii que agonia!! Que livro perturbador!
    Eu acho que não pararia de vomitar enquanto estivesse lendo-o.
    Até agora, lendo a tua resenha, me bate uma ânsia…
    Me responde uma coisa: Hannibal segue esse caminho tão… detalhado?
    Beijooss!!

    • haha é daí pra baixo Adna!
      Hannibal não é tãão assim não. Ele faz as atrocidades dele, mas não detalha desta maneira. Acho que o que mais perturba é saber que Serial Killer realmente aconteceu. Hannibal (ainda que seja inspirado em Gein) é uma ficção… dá pra aturar de boa rs
      Beijos!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s